universidade lusófona

A animação do fotográfico: estereoscopia e cinema

Victor Flores – 25 de Fevereiro

Resumo: O cinema nasceu numa cultura visual em que a estereoscopia tinha um papel crucial. Nesta conferência iremos abordar o modo como a estereoscopia e o cinema derivaram de um programa comum de aproximação entre as imagens e a vida provocado pela fotografia, suscitando um período de fusões e  de experimentações inédito na história da imagem. Em particular, reflectir-se-á sobre a fotografia estereoscópica em Portugal, as suas experiências cinemáticas, os principais discursos que a acompanharam e o mal de arquivo de que foi objecto.

Nota Biográfica: Victor Flores é doutorado em Ciências da Comunicação, área de Comunicação e Cultura (FCSH-UNL, 2009). É Professor Associado na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias onde lecciona nas áreas da Teoria e Análise de Imagem e da Programação e Gestão Cultural. Publicou em 2012 o livro A Imagem Técnica e as suas Crenças. A Confiança Visual na Era Digital (Nova Vega). É investigador responsável do projecto de investigação Cultura Visual Estéreo. A Cultura Visual da Fotografia Estereoscópica Portuguesa (CICANT). É curador da exposição A Terceira Imagem. A Fotografia Estereoscópica em Portugal e o Desejo do 3D  presente em 2015 no m|i|mo — museu da imagem em movimento, Leiria (17 jan-15 março) e no Arquivo Municipal de Lisboa — Fotográfico (16 abril-27 junho).

Trackback do seu site.