universidade lusófona

A viragem para a relação na arte contemporânea

José A. Bragança de Miranda – 28 de Janeiro

Resumo: Um pouco ambiguamente falou-se de desmaterialização ou da imaterialidade da arte. O fundo de verdade deste discurso é a crise dos objectos, nomeadamente das obras de arte, as quais, como diz Carl Einstein são raras e improváveis.

Mas também a crise do sujeito, que depois de Freud se revela descontrolado e nos nossos dias crescentemente virtualizado, fragmentado e reinventado. Neste contexto, percebe-se que a questão da relação se tenha tornado essencial, como sucede com as propostas de Bourriaud de uma “estética relacional” ou de Paul Ardenne sobre a “arte contextual”, para além da crescente insistência nas artes participativas e colaborativas. Trata-se nesta conferência de reavaliar a viragem para o relacional e de delimitar o seu significado para as artes contemporâneas.

Nota biográfica:

José A. Bragança de Miranda é doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade Nova de Lisboa (1990), com agregação em «Teoria da Cultura» (2000) na mesma Universidade. Actualmente é Professor Associado do Departamento de Ciências da Comunicação da Universidade Nova de Lisboa, colaborando desde 1992 como Professor Catedrático convidado na Universidade Lusófona. Tem leccionado nas áreas da Teoria da Cultura e das Artes Contemporâneas, da Teoria dos Media e da Cibercultura. É investigador do «Centro de Estudos de Comunicação e Linguagens» (CECL).

Trackback do seu site.